dez 01 2013

Artigos: Ensino de Geografia; Formação docente

OS DIFERENTES SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA. “O presente artigo se propõe discutir a questão dos diferentes saberes na formação do professor de geografia, ou seja, a questão da formação deste profissional diante das novas necessidades impostas pelas mudanças sociais do mundo contemporâneo. Importante afirmar que este artigo teve como intuito somente apresentar aspectos significativos referentes à questão do saber do professor de geografia sem, no entanto, ter a pretensão  de  abordar  todos  os  seus  aspectos  e  variáveis  ou  ainda apresentar todos os autores brasileiros que trabalham com essa importante questão. Esse tema envolve aspectos essenciais na discussão da área de educação, em especial, no ensino de geografia. Aspectos associados à formação docente, como o conhecimento teórico-metodológico, a concepção pedagógica e  de  prática  escolar,  assim  como  o  compromisso  com  a educação  social  e  transformadora  estão envolvidos na questão. Discutir os diferentes saberes na formação do professor de geografia exige inicialmente explicitar e valorizar a sociedade como foco de estudo da ciência geográfica tendo no espaço geográfico e, em sua totalidade, o objeto da geografia. Esta afirmação é expressiva, pois na prática escolar, assim como na formação universitária (graduação) o professor de geografia necessita conhecer e assumir uma posição diante da epistemologia geográfica, assim como da teoria pedagógica que adotará para trabalhar os conceitos geográficos em sala de aula”. (Texto-resumo do artigo). Este artigo foi produzido por Wilson Martins Lopes Junior, Doutor em Geografia – Análise Ambiental e Dinâmica Territorial pela Universidade Estadual de Campinas (2007). Foi publicado na Revista ACTA Geográfica, vol.04, n°7 (2010). Clique aqui para baixar o texto completo.

A DISCIPLINA DE CARTOGRAFIA ESCOLAR NA UNIVERSIDADE. Artigo produzido por Ruth Emilia Nogueira, para a Revista Brasileira de Cartografia – RBC, nº 63, Edição Especial, 40 anos, 2011. Neste seu artigo, a autora destaca que “a recente reformulação do currículo do Curso de Geografia na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) permitiu que fosse criada uma nova disciplina para a licenciatura a ser ministrada na quinta fase, denominada de Cartografia Escolar. O programa dessa disciplina foi pensado para dar uma base de conhecimento teórico e possibilidades de exercitar algumas práticas na perspectiva do ensino da Cartografia na Educação Básica. Depois de essa disciplina ter sido ministrada por quatro semestres consecutivos, já é possível tecer críticas e mostrar as avaliações dos alunos sobre ela. Também é intuito indicar aqui os caminhos que conduziram à criação da disciplina, apresentar e discutir o currículo e a metodologia de ensino, trazendo também algumas reflexões e as vivências da autora. A partir da avaliação conjunta dos alunos e da professora, ao finalizar cada turma, estamos convictos de que a disciplina Cartografia Escolar deve fazer parte dos currículos de todos os cursos de Licenciatura em Geografia”. (Texto-resumo do artigo). Clique aqui para baixar o texto completo.

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA NA PERSPECTIVA INTEGRADORA NATUREZA E SOCIEDADE: CONTEÚDO E ESTÁGIO. “O presente artigo versa sobre a temática do ensino, dialogando com a realidade espacial. O principal objetivo é traçar reflexões que articulam o ensino de geografia e o entendimento do espaço como relacional (entre a natureza e a sociedade), passando pela análise da formação inicial do docente em geografia. O texto foi construído a partir de pesquisa bibliográfica em 2010 e 2011 para o concurso para professor assistente para o Ensino de Geografia, no Departamento de Metodologia de Ensino da UFSC. Procura-se dialogar com autores da geografia crítica, com base em uma reflexão marxista, como também compreender o tema a partir da perspectiva sistêmica. Entender o desenvolvimento histórico-cultural da sociedade e sua relação com a natureza é fundamental para visualizar uma perspectiva socioambiental, que ainda é relativamente nova e esbarra em muitas contradições”. (Resumo do artigo, produzido pelo professor Orlando Ednei Ferretti, para a Revista Discente Expressões Geográficas, nº 08, ano VIII, p. 113 – 134. Florianópolis, agosto de 2012). Clique aqui para baixar o texto completo.

DESAFIOS NA FORMAÇÃO INICIAL DO PROFESSOR DE GEOGRAFIA: REFLEXÕES ACERCA DA TEORIA E DA PRÁTICA. “Este estudo tem por objetivo apresentar algumas reflexões acerca da formação inicial do professor de Geografia, com base nas experiências adquiridas em Estágios Curriculares Supervisionados em Geografia I, II, III e IV. Para tanto, o embasamento metodológico foi fundamentado em trabalhos realizados por estudiosos que pesquisam a temática, com destaque para os temas formação inicial de professores e prática de ensino. Após o estudo, apresentam-se algumas propostas alternativas que visam a contribuir para o ensino-aprendizagem da Geografia escolar”. (Resumo do artigo, produzido pelos professores: Francisco Otávio Landim Neto e Maria Edivani Silva Barbosa, para a Revista Revista Geosul nº53, volume: 27, p. 139 – 161, 2012). Clique aqui para baixar o texto completo.

SIG COMO INSTRUMENTO DE ENSINO DE CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. “O ensino da geografia ganhou novos recursos didáticos com o avanço tecnológico que permitiram o professor tornar suas aulas mais interativas. Com isso, o aluno desperta maior interesse em entender o espaço geográfico a partir de um novo olhar. As geotecnologias ou novas tecnologias aplicadas a cartografia podem ser usadas para tornar o processo de ensino aprendizado mais interessante não apenas, mas  também  para  o  professor  de geografia.  Este  estudo  trata  de  um  relato  da  experiência no  ensino  da  geografia  usando novas  tecnologias.  Por isso,  o  objetivo  desse  trabalho  foi  mostrar  as  práticas  de  uso  das  geotecnologias  no  ensino  da  geografia.  Os resultados  obtidos  nesse  ensaio  de  aplicação  das  novas  tecnologias  cartográficas  foram  extremamente satisfatórios,  uma  vez  que  todos  os  alunos  que  participaram  do  treinamento  conseguiram  desenvolver plenamente o trabalho de geração de mapas que atendessem as normas cartográficas. Dessa forma, a inserção de novas  tecnologias  no  ensino  de  geografia  e  cartografia  é  uma  maneira  de  tornar  acessíveis  ao  aluno  novos instrumentos tecnológicos que o auxiliará na construção de novos conhecimentos”. (Resumo do artigo, produzido pelos professores: Marcos Esdras Leite e Tatiana da Silva Maia, para a Revista Acta Geográfica nº14, volume: 07, p. 175-191, 2013). Clique aqui para baixar o texto completo.

Publicações relacionadas

Rating: 5.0. From 1 vote.
Please wait...

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.