out 14 2013

Entrevistas: Milton Santos, Aziz Ab’Saber e César Coll

milton2MILTON SANTOSEm entrevista concedida pelo geógrafo Milton Santos, ao Boletim da UFMG, nº 1229, ano 25 de 28 de 2004, realizada por: Maurício Silva Junior, é apresentado pelo ilustre profissional, sua inconformidade com a supervalorização que a humanidade dá à tecnologia.

Para Santos, “As pessoas têm atribuído vida à técnica, mas as coisas não nos comandam“. A entrevista é bastante interessante, e fala ainda sobre: Globalização, Política, Universidades, Ética, e outros temas. O Prof. Dr. Milton Santos (Milton de Almeida Santos ou Milton Almeida dos Santos), nasceu em Brotas de Macaúbas, no interior da Bahia, no dia 03 de Maio de 1926.Geógrafo e livre pensador brasileiro, dizia que a maior coragem, nos dias atuais, é pensar, coragem que sempre teve.

Doutor honoris causa em vários países, ganhador do prêmio Vautrin Lud, em 1994 ( o prêmio Nobel da geografia), professor em diversos países (em função do exílio político causado pela ditadura de 1964), autor de cerca de 40 livros e membro da Comissão Justiça e Paz de São Paulo, entre outros.

Clique aqui e leia a entrevista: “O sonho obriga o homem a pensar”.

azizAZIZ Ab’SABER. Professor emérito e membro do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP), Ab’Saber dedicou grande parte de sua vida a conhecer detalhadamente  o território brasileiro, estudando a Geografia e a Geomorfologia de nosso país.Nesta entrevista, concedida à Revista Nova Escola, Edição nº 139 de Janeiro / Fevereiro de 2001, o professor fala sobre o verdadeiro sentido da educação e sobre sua proposta de regionalização do ensino.

Segundo o professor, “o papel do professor de Educação Básica deve ser o de incentivar os alunos a construir o conhecimento da região onde vivem, desde os limites territoriais até as características geográficas, econômicas e políticas. Essas informações servirão para ele se localizar como cidadão e sempre servirão de base para qualquer estudo de espaços maiores, as chamadas macro-regiões. Nesse sentido, um estudante da Bahia precisa conhecer as outras regiões do país. Isso é importante, claro. Na verdade, é um conhecimento acumulado e, portanto, menos fundamental que os objetos de estudo imediato. Por tudo isso, repito: o primeiro passo deveria ser incorporar a filosofia do processo que se baseia no saber local, investir na formação dos professores e, só então, exigir resultados melhores.” (Trecho extraído da entrevista).

Clique aqui para ler a entrevista na íntegra.

Cesar-CollCÉSAR COLL – Aqui, o psicólogo espanhol defende a atualização constante de documentos como os PCN’s. Nesta entrevista dada à Revista Nova Escola, quando esteve no Brasil para uma série de palestras e conferências em São Paulo e no Rio de Janeiro, César Coll fala da reforma do ensino coordenada por ele na Espanha em 1990 e dá a sua opinião sobre a chamada contra-reforma que está sendo implementada nos últimos anos.

Vale destacar, que como consultor do Ministério da Educação (MEC) entre 1995 e 1996, Coll colaborou na elaboração dos nossos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), publicados em 1997.

Os PCN deveriam servir como referência e como elemento de reflexão para os educadores modificarem sua prática, não como um currículo obrigatório. Eles poderiam ser usados de várias maneiras, na sua totalidade ou em partes. Mesmo assim, precisam ser constantemente revistos. Por mais bem-feitos que sejam, um currículo e mesmo um material de referência como os PCN podem sempre ser aprimorados“.

Clique aqui e leia a entrevista: “Currículos devem mudar”.

Publicações relacionadas

Rating: 5.0. From 2 votes.
Please wait...

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.